PS: Um último beijo, com escárnio

PS: Um último beijo, com escárnio

Beijo seus lábios, para que assim seja selado o poder do mito.
Com todo o desdém possível, limito minha interação à minha alteridade,
Mas ainda faz parte de você, esse escárnio que nos dá validade.
Se alguma vez alguém respeitar o próprio nome, que façam o tal rito!

Promessas são quebradas apenas para provar que um dia foram prometidas.
Caia aos pés de seu orgulho e implore sua alma ao seu pesadelo!
Grite, caindo de joelhos para o céu, pelo falso sofrimento de suas veias retorcidas!
Às vezes ainda sinto, às vezes ainda explodo, às vezes ainda pareço um camelo…

Sinto sua dor, sinto a minha dor, mas isso em nada nos torna semelhantes.
Minha solidão é anterior ao seu estado de ausências mundanas.
Grito como um louco pra ver se ainda consigo enxergar todos os meus semblantes!

No fim, a briga pela comida é superada pela guerra em que o mais faminto é vencedor,
Onde o sofrimento é visto como propriedade que aplaca a própria dor,
Onde toda risada é já calculada dentro de um pão e circo sempre novamente assumido por todas as veias humanas.

Anúncios

1 comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s