como ser famoso – a beleza despida (de si mesma)

 Kate Moss,nua

A dialética deformadora e reformadora de instituições, tanto cívicas quanto irremediavelmente ontológicas, torna qualquer ser famoso. A dialética, o aufheben, que nega, eleva e conserva, também nos implica uma temporalidade. A protensão e retensão, que imediatiza-se sempre no presente, visualiza-se na forma da dialética como estas sendo estados – em parte como figuras de consciência – temporais. É o eterno dinamismo, que é sempre tese, antíse e síntese. Depois dessa besteira, a foto ilustra como ser famoso, a dia-lógica natureza insustentável.

hahahaha

kate-moss-nude.jpg

Anúncios

1 comentário

  1. Mas velho…
    A protensão e a retensão não são a única substancialidade, se é que pode-se dizer assim, do tempo? Porque o presente não passa, em certo sentido, de uma intersecção desses dois movimentos intencionais que fazem com que o pensamento seja, enfim, dialético na medida em que instala e seu âmago a temporalidade intrínseca, que não permite a fixides do Ser como categoria geral.

    Bonita a srta. Moss. Nem me acho mais parecido com ela.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s