para alguém..que se sabe..?

O coração… sim, ele bate; estremece-se à percussão, aludindo a qualquer sentir.
Sinto tudo que posso imaginar, até o fim da possível história inventada, mas já não posso tudo que sinto…
Assemelho-me a melindroso medíocre, assim como todos que em seus afazers deixam de ser o que são.
Por mais que somos aquilo a que fazemos, enganamo-nos deveras quando cremos que não somos.
Com a integridade do sentir, na idealidade de um consentir, à categoria do mentir;
E ainda assim seria um bom dia se nossas possibilidades umas com as outras confabulassem, sem mito.
Ao menos alguma vez sem adesão a ríspida moralidade… mas é o que cremos, é a nossa auto exclusão.
Se ainda assim pudesse perder o controle, se pudesse não ser eu, se ainda assim pudessemos ser o que somos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s