o que – o novo e o velho

O novo e o velho
O novo, na nova maneira de velho ser, se inova e renova a partir do sentido velho.
O velho…a velha angústia em uma nova situação; sempre na velha repetição, numa cena nova.
O novo, que quando se sabe já é velho, é cada vez mais contingente…na necessidade, velha;
O velho… sim, nada da memória escapa; a velha náusea em mais uma possibilidade, nova;
O novo sentido, no novo sofrimento, que sempre na nova moda surge, é só o mais novo velho.
O velho…é o que se torna novo, por tanto já sentir o velho, por tanto singularizar-se no velho, por tanto ser o mais velho novo.
28/11/07

Anúncios

3 comentários

  1. é… na natureza nada se perde, tudo se transforma. ou certas coisas de nossas singulares naturezas simplesmente voltam pra dar um tapinha nas costas da gente…
    abraçao, té+!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s